sábado, 25 de agosto de 2012

Não há canonização na Bíblia

     Sendo a Bíblia o livro básico fundamental do Cristianismo, era de esperar-se que apresentasse farto ensinamento sobre a prática da canonização.  Todavia, em suas páginas essa doutrina é totalmente desconhecida.  Não há nas Escrituras o verbo canonizar.  Também não há o substantivo cânon ou canonização.

    Alguém pode questionar que, mesmo não existindo a palavra canonizar pode existir a doutrina ou a prática com outro nome.  Também isso não acontece.  Canonizar é o reconhecimento de que uma pessoa que já morreu foi levada ao céu e está desfrutando os benefícios do paraíso eterno.  É a afirmação de que essa pessoa está na presença de Deus.

     A Bíblia não foi produzida de uma só vez.  Ela foi escrita durante longo período de quase 16 séculos.  Nela aparecem personalidades marcadas pela realização de obras extraordinárias e grande fidelidade a Deus.  Desfiam nas páginas do Livro Sagrado homens e mulheres, cujas vidas foram padrões de dignidade e grande moral.  Foram pessoas usadas por Deus para a realização de milagres incontestáveis, com grande testemunho de fé e serviço ao próximo.  

     Não há, contudo, em toda a história bíblica, nesse longo perído, o relato de um concílio de sacerdotes ou profetas reunido para canonização de um antepassado, por mais nobre ou piedosa que tenha sido a sua vida.

continua ....

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Viagem à Canaã








Reproduzo hoje, dia do aniversário de minha esposa Irenita, o poema já publicado por ocasião da celebração das Bodas de Ouro em 12 de maio de 2001. 







Buscando a Canaã, andamos juntos,

Por vales e montanhas nesta vida.
À noite a luz divina é clara e amena,
De dia há nuvens que amenizam a lida.
Tangidos pela fé - olhar distante,
A marcha é lenta - às vezes perigosa.
Na curva do horizonte divisamos
No fim de tudo a terra esplendorosa.
Hoje, cinqüentenária é nossa marcha,
E nesse viajar, na longa estrada,
Os pés na terra, os olhos no porvir,
Graças damos a Deus pela jornada.
Enquanto perdurar a caminhada,
Outros chamamos para a terra além.
Como Moisés a Hobabe no deserto:
Venham conosco e lhes faremos bem.

(do livro O Caminho da Vida) 

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O teste da cultura

        Existe a falsa ideia de que o Evangelho é só para gente simples e iletrada.  Com efeito, os menos sábios são, em geral, mais acessíveis à mensagem divina. A tendência do homem culto é enfatuar-se com os seus conhecimentos. Já, Paulo, o apóstolo fazia referência a esta situação, quando escreveu: "Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação".

        A mensagem divina é para todos os níveis de conhecimento e hábitos culturais.  As necessidades da alma são exatamente as mesmas, tanto para sábios como para ignorantes.  Ao vir ao mundo, Cristo não fez qualquer discriminação, por isso atentou com a mesma solicitude para uma simples mulher samaritana, junto ao poço de Jacó, como para o nobre Nicodemus que o procurou, fazendo inquirições importantes sobre os problemas do espírito.

        A culpa não é, portanto, de Cristo nem do seu Evangelho, senão do próprio homem.  Há aqueles que não passam no teste dos conhecimentos humanos em sua relação com Deus.  Imbuídos da ciência humana que na prática é muito importante, desprezam como se fosse loucura a suprema sabedoria daquele que deu ao homem a inteligência e a capacidade para adquirir conhecimentos.

         Vale a pena reverter este quadro e buscar a Deus.  

     

     

domingo, 19 de agosto de 2012

Um mundo sem fechaduras

Abro minha Bíblia e encontro um mundo no qual não há necessidade de qualquer dispositivo de segurança.  É o mundo em que domina a presença de Deus, e o temor está no coração dos homens.  Tal mundo é descrito nestes termos pelo profeto Isaías: "O Senhor exercerá o seu domínio sobre as gentes, e repreenderá a muitos povos.  E estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices, não levantará espada nação contra nação, nem aprenderão mais a guerrear" (2:4)
Diz o profeta: "Não se fará mal nem dano algum em todo o monte da minha santidade, porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor como as águas cobrem o mar" (11:9)
Um mundo sem fechaduras, sem chaves e sem qualquer dispositivo de segurança é o ideal de Deus.  Isso ocorrerá, sim, quando o coração dos homens se encher do conhecimento do Senhor.